Como Montar um Ciclo de Estudos

Muito bem. Você já reorganizou sua agenda pra espremer cada minuto extra de estudos no seu dia. Abdicou de televisão, redes sociais e baladas. Estimou quanto tempo, em horas e semanas, você precisa pra dar conta de cada disciplina. Agora vem outro desafio: Como distribuir as disciplinas pela sua rotina diária de estudos?

Em geral, os estudantes são aconselhados a montar um quadro de horários, semelhante ao de aulas no colégio, com as disciplinas distribuídas pelos dias da semana, períodos do dia, tendo em vista sua rotina. O objetivo, claro, é organizar o estudo, garantindo que todas as disciplinas tenham uma quantidade razoável de horas de estudo por semana.

Ora, um colégio pode impor um quadro de horários a você. Frequentar as aulas é o seu principal compromisso do dia, qualquer outra coisa é secundária, fica pra depois. E se você faltar uma aula, azar o seu; vai ter que pegar a matéria depois com um colega.

Mas quando você está estudando em casa, você nem sempre pode impor um quadro de horários a você mesmo. Outros compromissos (uma consulta médica, por exemplo) ou casualidades infelizes (um dia que você dorme mais do que a cama) podem impedir você de estudar num determinado horário. E a matéria que você deixou de estudar naquele horário você não tem como “pegar” com ninguém. Terá que arrumar um horário extra para repor aquele tempo perdido de estudo. Ou então, vai se atrasar naquela disciplina.

Se essas interrupções forem esporádicas, não tem muito problema. Mas se forem frequentes, podem bagunçar todo o seu esquema de estudos. E quanto mais caótica for sua rotina semanal, mais difícil será seguir um quadro de horários.

Este problema afeta não só estudantes do Ensino Médio, mas também, e sobretudo, pessoas que se preparam para concursos públicos. Porque muitas trabalham, têm cônjuges e filhos, compromissos sociais, etc. Muitas delas estudam quando podem, não quando querem.

Em vista disso, em 2006, um concurseiro bem sucedido, chamado Alexandre Meirelles, que atualmente tem um site voltado para concurseiros, chamado Método de Estudo, elaborou uma alternativa mais flexível ao rígido quadro de horários, a que chamou de Ciclo de Estudos. É o tipo de coisa tão simples, e ao mesmo tempo tão genial, que você se pergunta, “Como é que ninguém pensou nisso antes?”. Bem, alguém teve que pensar nisso antes de todo mundo; e, nesse caso, foi o Alexandre.

Basicamente, o Ciclo de Estudos é um quadro de horários sem os horários. Nele há apenas a sequência de disciplinas a serem estudadas, e quantas horas cada uma delas deve ser estudada. Nas palavras do criador do método:

“O ciclo é composto de disciplinas que devem ser estudadas na ordem em que nele aparecem, independentemente do dia e da hora em que se está estudando. Sendo assim, caso tenha estudado até determinada disciplina hoje, amanhã você reinicia seus estudos a partir de onde parou no ciclo. Não importa em qual hora do dia nem quantas horas você estuda em cada dia, o que importa é que você tem que continuar de onde parou no dia anterior, de modo a não prejudicar ou beneficiar alguma disciplina por conta de fatos do dia a dia.”

E aqui vão algumas diretrizes para você montar seu Ciclo de Estudos:

1. Defina o tamanho do Ciclo.

Defina quantas horas terá o seu ciclo de estudo. Se você tem muito tempo para estudar durante a semana, seu ciclo pode ser maior (20 horas, por exemplo). Se você não tem muito tempo, o ciclo deve ser menor (10 horas, por exemplo.) Mas cada ciclo deve fazer um rodízio completo com todas as disciplinas.

2. Defina o tamanho dos blocos de estudo.

Cada bloco é como o tempo de uma aula no colégio. E, assim como no colégio, cada disciplina terá um punhado de “aulas” (blocos) de cada vez. Como sua geração tem uma capacidade limitada de manter a concentração num mesmo assunto, a duração de cada bloco não deve ser muito longa: 25 minutos no mínimo, ou 50 minutos no máximo.

3. Faça intervalos entre os blocos.

Se seu bloco for de 25 minutos, faça uma pausa de 5 minutos. Se for de 50 minutos, uma pausa de 10 minutos. Em cada intervalo, levante, ande um pouco, beba água, como uma fruta, vá ao banheiro. Só não confira suas redes sociais! Você diz a si mesmo que vai dar “só uma olhadinha”, mas acaba ficando um tempão perdido no limbo.

4. Analise e pondere as disciplinas.

Atribua mais tempo para as disciplinas que têm conteúdos programáticos maiores, ou que você possui mais dificuldade, ou que tenham mais peso nas provas. Em outras palavras, aquelas que requerem muitas horas de estudo, ou que você tem baixa velocidade de aprendizado, precisam de mais blocos em cada ciclo.

4. Faça a alocação das matérias.

Aloque as disciplinas nos blocos de modo que fiquem igualmente espaçadas, e também para que disciplinas com mais textos ou mais fórmulas sejam alternadas. Cuide para que a última disciplina do bloco não coincida com a primeira, porque, quando você recomeçar o ciclo, esses blocos vão ficar contíguos.

5. Revisões ficam fora do Ciclo

O tempo em que você revisa o estudo feito nos dias anteriores não entra no ciclo de estudo. Ele conta como tempo de estudo diário, mas por fora do ciclo. As revisões devem ser a primeira coisa a fazer na sua programação diária de estudos. Se deixar pra depois, você já vai estar cansado, e a tentação de “pular” a revisão nesse dia será grande.

Seguindo essas diretrizes, aqui vai um exemplo básico de Ciclo de Estudos para quem vai fazer o Enem:

  • Matemática (3 h)
  • História (3 h)
  • Física (2 h)
  • Inglês (2 h)
  • Química (2 h)
  • Geografia/Filosofia/Sociologia (3 h)
  • Biologia (2 h)
  • Português (3 h)

Um ciclo de 20 horas.

Se você tem menos tempo pra estudar, pode cortar os períodos à metade:

  • Matemática (1,5 h)
  • História (1,5 h)
  • Física (1 h)
  • Inglês (1 h)
  • Química (1 h)
  • Geografia/Filosofia/Sociologia (1,5 h)
  • Biologia (1 h)
  • Português (1,5 h)

Um ciclo de 10 horas.

Ou até menos:

  • Matemática (1 h)
  • História (40 h)
  • Física (40 min)
  • Inglês (40 min)
  • Química (40 min)
  • Geografia/Filosofia/Sociologia (40 h)
  • Biologia (40 min)
  • Português (1 h)

Um ciclo de 6 horas.

Lembrando que 2 horas de estudo para cada disciplina não significa que você tem que ficar 2 horas estudando direto. São na verdade 4 “aulas” seguidas de 25 minutos com intervalos de 5 minutos entre elas ― ou 2 “aulas” de 50 minutos com intervalos de 10 minutos. Mas você não deve começar as “aulas” de uma disciplina antes de terminar as “aulas” da anterior.

Cada dia você avança algumas horas ― e algumas disciplinas ― no seu ciclo, seguindo rigorosamente a ordem estabelecida. Quando terminar as “aulas” da última disciplina, você fechou um ciclo; aí, você começa outro, voltando à primeira disciplina da lista. A mudança de um ciclo pra outro pode acontecer no mesmo dia, não tem problema. Ou, se você preferir, pode deixar pra começar o próximo ciclo no dia seguinte, se você já estiver muito cansado.

Estes são só exemplos. O ciclo que você vai fazer dependerá das suas necessidades, conforme explicado mais acima.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s