Currículo de Inglês ― Livros da Cambridge University Press

16 comentários

Justifica-se o aprendizado de Inglês pragmaticamente: basta reconhecer que é a língua franca no mundo atual. (No futuro poderá ser pior: você talvez tenha que aprender mandarim…) Já o de Espanhol costuma ser justificado em termos ideológicos, como uma maneira de “promover a integração sul-americana e latino-americana”.

Seja prático: não perca seu tempo estudando Espanhol. Você não vai precisar conhecer essa língua nem quando for comprar bugigangas em Assunción ou dançar tango em Buenos Aires. Muitos brasileiros se comunicam muito bem com os nossos hermanos usando o “Portunhol”, ou falando em Português mesmo.

Concentre seus esforços, seu tempo, seu dinheiro e sua energia em aprender Inglês, que é uma língua bem diferente da nossa, e por isso mais difícil — e muito mais necessária, no mundo acadêmico e profissional, do que o Espanhol.

Como você não vai aprender Inglês na escola, você deve se matricular num curso de idiomas. Prefira um curso intensivo, com três ou quatro aulas semanais, e que não interrompa as aulas durante as férias escolares. Desse modo, você poderá chegar pelo menos ao nível intermediário superior (upper intermediate) na época do vestibular. Isso costuma ser o bastante pra entrar na faculdade.

Mas o ideal, pra quem quer se dar bem no futuro, é continuar os estudos de Inglês durante a faculdade, até chegar ao nível avançado. É quando se pode fazer um exame de proficiência, como o TOEFL, que é absolutamente indispensável pra quem quiser estudar em universidades nos Estados Unidos, Reino Unido, Canadá e Austrália — ou para, futuramente, trabalhar nesses países.

“Ah, mas não tem jeito de aprender Inglês estudando só por livros?” – Você pode perguntar. Não a ponto de você se tornar fluente na língua. Porque só se aprende uma língua, qualquer língua, conversando com outros falantes da língua. Esse é o grande diferencial dos cursos de idiomas: reunir os estudantes em turmas pequenas onde podem conversar, com a mediação dum professor.

Mas, certamente, daria pra você aprender o suficiente para passar no Enem ou no vestibular. Os livros listados abaixo, da Cambridge University Press, são muito usados mundo afora (inclusive no Brasil) em cursos de Inglês. Nos links, você encontra cópias em PDF de quase todos eles, que garimpei pra você na internet (só não encontrei um). Mas se quiser os audio CDs e CD-ROMs, só comprando os originais, à venda na Amazon.

Sem os áudios, se você quiser saber as pronúncias corretas das palavras e frases, é só você digitar no Google Tradutor ou no Bing Translator e clicar ou tocar no ícone do alto-falante pra você ouvir a pronúncia correta. Nestes serviços você também pode, obviamente, fazer traduções dos termos que você não conseguir deduzir o significado pelo contexto em que aparecem nos livros.

Nível básico:

Nível intermediário:

Nível avançado:

Você deve seguir a ordem em que estão listados os livros. As Grammar in Use e os respectivos Supplementary Exercises até podem ser estudados conjuntamente, pois a cada capítulo daquelas corresponde um capítulo destas. Mas talvez seja melhor deixar pra resolver cada Supplementary Exercises inteiro depois de estudar a correspondente Grammar in Use inteira, para usar os exercícios suplementares como revisão das gramáticas.

Se você começar a estudar esses livros no primeiro ano do Ensino Médio, dá tranquilamente pra chegar até o final da lista no fim do terceiro ano. Se você começar no segundo ano também dá, mas você vai ter que dedicar mais tempo ao estudo. Se você começar no terceiro ano, é mais difícil ainda, mas não impossível.

Tente concluir pelo menos 2/3 da lista – ou seja, concluir o “nível intermediário”. Isso deve bastar pro Enem e pra maioria dos vestibulares. Mas pra você ser capaz de ler jornais, revistas e livros em Inglês com a mesma fluência que em Português, tem que chegar até o fim do nível avançado.

16 comentários em “Currículo de Inglês ― Livros da Cambridge University Press”

  1. Olá, Serjão! Quero lhe agradecer pela dedicação em disseminar conteúdo de tamanha qualidade gratuitamente na internet e gostaria de buscar algum tipo de direcionamento. Acabo de me formar em um excelente curso de inglês local (2o ano do E.M) e julgo que minha desenvoltura com o inglês está no nível upper intermediate, porém há arestas que preciso aparar antes de encarar uma certificação internacional. Viso prestar o IELTS, e me sinto na obrigação de honrar a oportunidade que tive de dominar o idioma (tão rara em nosso país) e alcançar o nível avançado e a proficiência. Pretendo fazê-lo nesse hiato até o fim do meu segundo grau (por volta de um ano e meio) e acredito ser capaz de dedicar de 7 a 9 horas semanais ao estudo do idioma, aliado a imersão na língua através do consumo de literatura inglesa e outros conteúdos. Meus responsáveis não medem esforços em relação a minha educação e se prontificaram a bancar um curso preparatório, entretanto acredito que sou capaz de atingir o objetivo de forma autodidata (caso não obtenha sucesso na primeira tentativa, pretendo utilizar a base formada para desfrutar ao máximo desse curso, como uma espécie de aprofundamento). Dessa forma, estou tentando traçar um plano para conciliar o estudo para vestibulares e olimpíadas do conhecimento com esse exigente exame.

    Até o momento, adquiri o “English Grammar In Use for Intermediate Learners” e achei muito didático e útil.
    Queria saber, na sua opinião, qual é o melhor arranjo dessa lista visando consolidar meu conhecimento (principalmente em gramática e vocabulário) e conquistar uma boa nota no exame? Dentro dessas condições, essa minha empreitada para conquistar o mundo é viável? Muito obrigado novamente por auxiliar a preencher diversas lacunas no sistema de ensino e tornar a árdua jornada pelo conhecimento mais prazerosa!

    Curtir

    1. Olá, João! Seu plano de se tornar proficiente em Inglês é excelente! A melhor maneira de dominar uma língua estrangeira é a imersão no idioma. Tem que estudar todos os dias, uma horinha que seja. Sim, é perfeitamente possível passar no IELTS estudando por conta própria. Inclusive, tem livros preparatórios com questões no nível e no estilo do IELTS, que você encontra na Amazon.

      A lista que apresento nesta postagem já está na ordem que considero melhor para ampliar o vocabulário e dominar a gramática. Você pode começar no English Vocabulary in Use Upper-Intermediate, e seguir adiante.

      Uma dica: experimente assistir filmes e séries duas vezes, a primeira no áudio em Inglês sem legendas e a segunda também no áudio em Inglês, mas com legendas também em Inglês. É uma forma de ampliar vocabulário e “treinar o ouvido”. Em pouco tempo você estará ouvindo palavras que são faladas mas não constam das legendas.

      Outra dica: uma maneira de você conciliar o estudo para vestibulares e olimpíadas é você estudar as várias disciplinas em livros em Inglês. Assim, você ao mesmo tempo aprende as outras matérias e aperfeiçoa o seu Inglês. Eu indico ou forneço vários livros estrangeiros aqui no Guia do CDF, especialmente os da OpenStax. Mas, enquanto eu recomendo que os estudantes usem as facilidades da internet para traduzir os textos, no seu caso, você deve se socorrer num dicionário Inglês‒Inglês. Tem o Oxford Advanced Learner’s e o Cambridge Advanced Learner’s, que são top.

      Curtir

  2. Boa noite, Serjão!

    Gostaria de uma opinião sua. Devo tentar procurar um cursinho de inglês mediano? Minha condição financeira não é muito boa para muitas aulas semanais, não terei tanto tempo também, porque trabalho meio período e estudo (3° ano E.M, escola pública). Fora que o cursinho provavelmente será EAD por conta da pandemia. Contudo, ainda valeria a pena?
    Meu foco (ainda) não é o TOEFL.

    Curtir

    1. Boa noite, Claz! Como você trabalha e estuda, tem limitações de tempo e de dinheiro, convém você terminar o Ensino Médio primeiro. Até lá, estude Inglês por livros e videoaulas, como puder. Ano que vem você estará menos apertado, e poderá encontrar um bom cursinho, à distância ou presencial, para realmente dominar o Inglês. Bons estudos!

      Curtir

  3. Olá, Serjão! Você possui indicações de bons cursinhos de inglês? Ano passado fiz um curso de inglês na Wizard, porém a metodologia deles é péssima e muito lenta (cada aluno fica em um tablet e apenas nos últimos minutos existe uma conversação em inglês).
    Sei que existem dezenas de outros cursos famosos (Cultura Inglesa, CNA, Fisk, CCAA, Wise Up…) mas não tenho dinheiro o suficiente para ir testando um por um. Tem algum que você recomenda? Alias, o meu principal objetivo com o curso de inglês é tirar uma boa nota no TOEFL.

    Curtir

    1. Olá, Victor! Eu fiz CCAA, mas há muuuuito tempo. Não sei como é a metodologia agora. Mas se você tem um objetivo específico (TOEFL), pode se guiar por ele. Procure um curso que tenha turmas ou treinamento específico para esta certificação. Pode começar pesquisando no google por TOEFL junto com o nome de cada um desses cursos — “TOEFL Cultura Inglesa”, “TOEFL CNA”, “TOEFL Fisk” e assim por diante. Boa sorte em sua busca!

      Curtir

  4. Mestre, poderia listar aqui quais livros/manuais/dicionários foram retirados da sua lista original (salvo engano, dividida em 4 anos ou mais)? Agradeço pela prestatividade!

    Curtir

    1. Olá Rodrigo! Você é das antigas, hein? Essa lista que você fala eu mudei há alguns anos. Mas quase todos os livros indicados lá estão nesta aqui. Eu apenas condensei os quatro anos em três.

      As únicas remoções que fiz foram os dicionários específicos de expressões idiomáticas, verbos frasais e colocações. Porque os dicionários gerais, especialmente o de nível avançado, cobrem muitos desses termos; é só saber procurar dentro dos verbetes corretos. (Os próprios dicionários apresentam instruções para isso.)

      E repare que, enquanto antes eu só indicava os livros, agora eu forneço quase todos eles! É só pegar lá na “Estante do CDF”. Bons estudos!

      Curtir

  5. Olá Serjão, tudo bem? Como o colega ai de cima também pretendo fazer o TOELF. Infelizmente não tenho condições de arcar com um curso de inglês então segui a seguinte estratégia (talvez seja útil a quem também sofra o mesmo infortúnio que eu), eu doso meu aprendizado entre apostilas e conversação com nativos da língua(recomendo o aplicativo Tandem, é gratuito e tem muita gente disposta a ajudar), sei que não vai ser como a entrevista mas é uma maneira de treinar. Obrigada pelas dicas, admiro seu trabalho, abraços!

    Curtido por 1 pessoa

  6. Olá, mestre. Desde de já agradeço pela tão valiosa sabedoria que tem compartilhado. Este material seria o suficiente para enfrentar o TOEFL sem fazer algum cursinho? Ou eu teria que correr atrás de algo mais além?

    Curtir

    1. Olá, Gabriel! Discípulo corajoso, que quer encarar um TOEFL para ganhar o mundo!

      Reforço pra você minha advertência: em se tratando de língua estrangeira, *não há nada melhor que um bom curso presencial*, com professores gabaritados e colegas compromissados.

      Mas se, por quaisquer motivos, um curso assim não estiver ao seu alcance, SIM, teoricamente, é possível você atingir um nível de conhecimento de Inglês suficiente pra encarar um exame de certificação internacional estudando com o material que indico aqui. Afinal, os melhores cursos de idiomas, inclusive os que preparam para o TOEFL, usam material semelhante nas suas turmas, desde o nível básico até o avançado.

      Você só precisará, numa última etapa, faltando alguns meses pro exame, estudar um livro ou apostila preparatórios especificamente para ele. (Existem vários, pesquise na Amazon por “TOEFL”.) Essas obras fazem uma extensa revisão de tópicos gramaticais, vocabulário, etc. cobrados no certame. E trazem centenas, até milhares de exercícios no formato das provas pra você treinar.

      Pese os prós e contras, os custos e benefícios, ao fazer sua escolha. Mas tenha em mente que, seja por cursos, seja por conta própria, adquirir domínio e fluência numa língua estrangeira *não é rápido, não é fácil, nem sai barato*. Leva alguns anos de preparação, com algumas horas diárias de estudo, e custa alguns milhares de reais. Exige esforço, dedicação, disciplina, persistência. Desconfie de quem promete o contrário.

      Mas é, sem dúvida, um ótimo investimento, que vai te render dividendos pra vida toda!

      Bons estudos!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s